Estratégia analítica: O que há de comum entre jogo de xadrez e a análise de dados?

estratégica analítica e o jogo de xadrez
estratégica analítica e o jogo de xadrez

Para falar sobre estratégia analítica, é bom relembrar nossa infância e os jogos de tabuleiro. Quantos de nós gostamos de jogar xadrez? Bem, eu sendo um nerd absoluto, ainda amo jogar xadrez. Quando éramos mais jovens e jogávamos jogos de tabuleiro, provavelmente começávamos apenas a jogar, a mover peças e a saber vencer, mas sem ter realmente nenhuma estratégia.

À medida que desenvolvemos nossas habilidades em jogos de tabuleiro, e talvez mais importante, quando começamos a desenvolver mais sabedoria e entendimento geral, começamos a descobrir maneiras diferentes de jogar nossos jogos favoritos. Eventualmente, começamos a desenvolver estratégias para vencer. Quando aprimoramos as técnicas, algumas vezes elas funcionavam, mas outras vezes o outro jogador tinha outras estratégias o que nos obrigava a rever as nossas. Tornamo-nos jogadores mais fortes porque desenvolvemos nossas próprias maneiras para vencer o jogo, ou seja, essas estratégias estão diretamente ligadas às nossas metas e objetivos.

O jogo de xadrez é um excelente exemplo disso. Quando começamos a jogar, estamos dispersos, animados para saber como as peças se movem e como colocar as pessoas sob controle. Mas, quando enfrentamos aqueles que realmente sabem jogar, percebemos que estávamos sendo esmagados. Então, estudamos, aprendemos, crescemos e descobrimos que há um mundo inteiro de estratégia no xadrez. Obviamente, o objetivo geral é vencer, mas, às vezes, traçamos diferentes metas e objetivos nesse caminho para a vitória, e uma estratégia é crucial para o sucesso.

Essa analogia combina perfeitamente com as tendências de dados e estratégias analíticas de forma global. Como viajo e trabalho em todo o mundo, é raro encontrar uma organização que possua uma forte estratégia analítica dos dados que esteja ligada às metas e objetivos da organização. A cada dia conheço organizações de todas as formas e tamanhos, setores, etc. sei que é importante ter dados e trabalho analítico, mas quando pergunto a essas organizações sobre sua estratégia, metas e objetivos, sou recebido com olhares interrogativos.

Um grupo aqui ou ali pode ter uma estratégia, mas eles podem vinculá-lo à estratégia geral da organização? Uma outra equipe pode ter sua própria estratégia, mas eles estão conversando entre si? Então, um grupo diferente deseja investir em um software novo e brilhante que eles acham que lançará bombas de conhecimento no mundo, porém, não estão falando com ninguém nem com a equipe de fornecimento.

Por fim, sustentando tudo isso, está a falta de habilidades na alfabetização de dados da organização que permitirá que as metas e estratégias do mundo dos dados existam. Essa tendência é promissora e preocupante: promissora porque as organizações estão realmente querendo ter sucesso com os dados. Contudo, preocupante porque elas não encontrarão sucesso com as tendências atuais.

Como uma empresa pode ser bem sucedida com estratégia analítica?

A primeira etapa para uma organização criar esses dados e estratégias analíticas bem-sucedidas é compreender o objetivo da análise dos dados e como eles se vinculam às metas e objetivos da organização, não entender tecnologia e software.

Por muito tempo, as organizações têm ouvido falar que o software é a poção mágica, apenas para ficar desapontado várias vezes, já que o ROI não é forte. Esse tipo de pensamento precisa mudar para abordagens baseadas em resultados, nas quais estamos determinando exatamente o que queremos como organização. Quando uma empresa determina quais são suas metas e objetivos, software e soluções podem se encaixar. Isso nos permite não forçar o ajuste de uma estratégia a uma compra de software.

 

Para melhorar isso, as organizações precisam especificar qual é o objetivo dos dados e da estratégia analítica? Os dados têm muitos propósitos e, por meio deles, podem realmente ter sucesso na 4ª revolução industrial. No grande livro de Bernard Marr, Data Strategy, ele define três itens distintos nos quais os dados podem ser usados ​​em uma estratégia de dados:

Esses resultados devem ajudar a sustentar a estratégia analítica implementada por uma organização. Juntamente com esses três, as companhias também devem se concentrar em:

  • Alfabetização de dados;
  • Capacitação de todos por meio da democratização dos dados e análise de autoatendimento.

Conforme as organizações buscam capitalizar o ativo incrível e valioso que são os dados, elas devem ter uma forte estratégia analítica dos dados que se vincule às suas metas e objetivos. Quando isso é feito, elas encontrarão o ROI que procuram com seus investimentos em dados e análises.

 

Texto traduzido de Jordan Morrow – The Chess Game of Data & Analytics

*Artigo republicado com permissão do autor.
Inscreva-se em nossa newsletter
Crie, treine e implemente modelos de Machine Learning. Ganhe produtividade em sua equipe!